segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Para os jovens, os noivos e namorados

Opa, galera! Quanto eu estava namorando o pessoal da igreja costumava falar brincando, quando me perguntavam sobre casamento, que "namoro de crente não pode ser mais que dois anos", insinuando, em outras palavras, que os evangélicos devem namorar, noivar e casar num período não muito longo. Deixando de lado a brincadeira, o que a frase insinua é de fato uma verdade a ser considerada.
Tenho visto muitos jovens, fora e dentro das igrejas também, que começam a namorar muito cedo, noivados que já completaram vários aniversários e não se chegou ao casamento. Não que eu acho que um relacionamento deve se tornar em casamento de forma muito rápida, isto seria até uma promiscuidade também. Acho que as pessoa devem namorar o tempo bastante para se conhecerem ao ponto de estarem certas ao se decidirem em assumir um noivado, e este deve durar o tempo bastante para se prepararem para casar(comprar ou alugar uma casa, mobilhá-la, terminar de juntar dinheiro para estas coisa e para festa e gastos com o casamento). Mas é interessante que isto ocorra no menor tempo possível. Afinal muito tempo de namoro e até de noivado, pode esfriar a relação e as pessoas acabarem se separando, sem falar de que é muito tempo lutando contra a carne para manter a santidade dentro do relacionamento.
Quando se começa a namorar muito cedo se gasta muito tempo e energia em relações que podem falhar, pois as pessoas são muito jovens para entrarem em um relacionamento. Tempo que poderia estar sendo investido em estudo, em trabalho, em juntar dinheiro para quando for casar( quanto dinheiro se gasta em presentes durante o namoro), se o relacionamento falha foi tudo perdido. Sem falar que como acham que é para sempre, as pessoas até assumem dividas para dar presentes e se permitem intimidades que deveriam ter apenas depois de casado. No noivado, a coisa ainda é pior, pois temos a sensação de maior certeza que a coisa vai dar certo, além de que normalmente se começa a fazer investimentos juntos (casa, mobília, etc) e se a coisa se estende e acaba o prejuízo é ainda maior.
Além do transtorno financeiro, tem o tempo investido na relação, que não volta mais. São anos de sua vida investido em um relacionamento, que pode ser perdidos. Todos relacionamentos correm este risco (não estamos falando de casamento, pois um casamento cristão não deve se acabar nunca, ver Marcos 10:9), principalmente se desde o início as pessoas não colocarem Jesus no centro de suas vidas e relacionamento, mas é maior o risco quando as pessoas são muito jovens e imaturas. Sem falar, que se criam laços de amizade entre o(a) ex e a família, que tornam o termino de um relacionamento algo pior ainda. Por isto, meus amigos jovens, noivos e namorados, busquem manter seu relacionamento de forma santa, dentro da vontade de Deus, no tempo de Deus, tendo desde o início Jesus Cristo no centro de suas vidas e relacionamentos.

Versículo do dia: Eis o soberbo! A sua alma não é reta nele; mas o justo pela sua fé viverá. (Habacuque 2:4)

2 comentários:

juventudeemsantidadesempre disse...

Adorei a postagem era justamente isso que eu precisava ler.
Deus abençoe sempre o DEC.
bjos

Fabiana disse...

Muito pertinente esse assunto,pois nos dias de hoje a família vem sendo atacada bem antes de inicia-la. E sem contar que o fato do crente assumir um namoro a luz da palavra de Deus, quer dizer que já se avaliou a responsabilidade e consequencias dele,ou seja, casamento.